Boca Aberta: o “Bigmouth” ataca novamente

“Bigmouth, bigmouth! Bigmouth strikes again

And I’ve got no right to take my place with the Human race!”

(Música: Bigmouth Strikes Again – The Smiths)

 

Tensão e teatralidade, agressões e subestimação…

A abertura de uma Comissão Processante (CP) contra o vereador de Londrina, Émerson Petriv (PR), conhecido como Boca Aberta, contou com todos os ingredientes apresentados acima. Entre os itens de cena, cartazes, gritaria, socos e pontapés, spray de pimenta e lamentavelmente até uma arma sacada em meio ao público durante a confusão vista na sessão de ontem (6.7.2017). Este registro do momento em que a enfermeira Regina Amâncio (que encaminhou denúncia contra o vereador à Câmara) foi agredida resume bem o triste espetáculo transmitido ao vivo pelas mídias tradicionais e alternativas.

Ambos os desfechos – aprovação da CP com 16 votos favoráveis e 3 contrários, seguida de intervenção policial – estavam previstos no final do script, sem que qualquer um precisasse ler todo o roteiro do espetáculo político em questão. Isso porque vários spoilers foram dados durante todo o primeiro semestre de atividades e intensificados nas redes sociais durante a semana que passou.

O vídeo gravado por Boca Aberta em frente à Câmara de Vereadores, pedindo apoio e convocando simpatizantes/eleitores para a plenária, teve 7,3 mil visualizações e 265 compartilhamentos. Somando as três “postagens-chamamento” do vereador na página pessoal do Facebook (incluindo a carta aberta aos colegas vereadores), foram mais de 350 compartilhamentos e 13.000 visualizações. Índices muito superiores aos 180 lugares disponíveis ao público nas galerias de acesso. Em entrevista à imprensa, o presidente da Câmara, Mario Takahashi (PV), garantiu que medidas de segurança foram previstas pela equipe.

Não há que duvidar disso, mas é preciso lembrar sempre que Bigmouth é o vereador mais votado em todo o Estado do Paraná (acumulou 11.480 votos) e com um poder de inserção midiática junto à população que chama a atenção até mesmo do mais desavisado internauta. Aliás, foi exatamente o uso da Internet que levou a investigação adiante: ao fazer uma “vaquinha” com a intenção de reunir dinheiro para o pagamento de multa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Boca Aberta foi denunciado por violar o Código de Ética. Abrindo os braços, ajoelhando, escalando as cadeiras junto ao público… A teatralidade de Petriv não conseguiu mudar o placar.

O Baixo Clero tem em seu arquivo diversas análises e comentários sobre Boca Aberta, inclusive chamamentos anteriores para que simpatizantes fossem à Câmara e também sobre o incômodo visível que a falta de etiqueta em plenário provoca junto aos demais vereadores.

Agora, o próprio cerco (ou circo?) midiático onde ele sempre gostou de estar servirá de material fértil para os críticos e principalmente para a Comissão formada por Felipe Prochet (PSD), Professor Rony (PTB) e Jamil Janene (PP), este último um desafeto declarado de Petriv. O prazo para a conclusão dos trabalhos da CP, após devida notificação, é de 90 dias. Contagem regressiva para que Bigmouth busque evitar a cassação do mandato… ou contra-atacar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *