Comunidade universitária resiste ao desmonte que o governo tenta impor

UEL e UEM, as duas maiores universidades estaduais paranaenses, puxam a resistência ao Meta4, junto com a Unioeste. Por isso as três são as mais visadas pelos burocratas do governo do Estado, que trabalham pelo desmonte das universidades estaduais. Foram essas três universidades que tiveram a verba de custeio bloqueadas como retaliação à não adesão ao Meta4, bloqueio esse que coloca em risco o funcionamento das universidades. Na UEL, já existe uma resistência espontânea da comunidade universitária, que vem se reunindo em torno da hashtag ForçaUEL. Na UEM também há uma hashtag, a ForçaUEM e também já saiu um ato em defesa da universidade, que reuniu cerca de mil pessoas, como mostra a foto. Na UEL também estão sendo organizado atos de resistência.

Apoio ao reitor da UEM

Já corre dentro da UEL, inclusive uma moção de apoio ao reitor da UEM, professor Mauro Luciano Baesso, que foi o alvo de ataque do governador Beto Richa em vídeo veiculado na internet. Para a moção de apoio estão sendo colhidas assinaturas de servidores, professores e estudantes da UEL. O entendimento é de que ao atacar o reitor da UEM, o governador atacou toda a comunidade universitária do Paraná. As adesões podem ser feitas pelo e-mail campanha.apoiomaurobaesso@gmail.com.

.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *