Administração municipal diz que tarifa não sobe com a volta do meio passe

Apesar da pressão das empresas por um novo cálculo da planilha que determina o preço do transporte coletivo em Londrina, caso a Câmara aprove a restrição dos passe livre, tirando o benefício de alguns estudantes, fontes da administração municipal garantem que o preço da passagem não vai subir mais do que uma vez em um ano. Ou seja, o próximo reajuste só vai acontecer em 2018. O principal argumento é o de que há o princípio da anuidade, que impede mais de um reajuste por ano. O Ministério Público tem posição semelhante: antes de mais nada, respeitar o princípio da anuidade. Além disso, a planilha precisa ser analisada com cuidado.

A questão é que com a retirada do passe livre de estudantes universitários, de cursinhos pré-vestibular e de estudantes de ensino médio técnico voltam a ter o meio passe: ou seja, pagam a metade da tarifa. Antes do passe livre, a outra metade, da qual os estudantes eram isentos, entrava no cálculo da tarifa, dividindo o custo entre os demais usuários. A lei mandada pela administração municipal para a Câmara não fala sobre como será financiado o meio passe, razão pela qual as empresas de ônibus estão defendendo que, com a volta do meio passe, a tarifa deve ser reajustada.

A tendência é de que a tarifa fique como está e o meio passe volte a vigorar. Tudo isso indica que a próxima revisão da planilha do transporte coletivo deve ser uma discussão duríssima.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *