PGM diz que convênios do Promic deveriam ter sido assinados pela gestão anterior

O Núcleo de Comunicação (N.Com) da prefeitura acaba de divulgar uma nota da Procuradoria Geral do Município, na qual a PGM afirma que alertou todos os órgãos municipais a respeito da entrada em vigor da lei federal 13.019/2014, a partir de 1º de janeiro deste ano e alegando que os contratos do Promic deveriam ter sido assinados ainda em 2016, pela gestão anterior. É mais um capítulo da novela do cancelamento do edital do Promic, anunciado na segunda-feira. A prefeitura alega que o edital não se adequa à lei federal e por isso ele foi cancelado. Um novo edital será publicado em até 60 dias.

“Todos os editais elaborados em 2016 estavam sob a regulação das leis vigentes naquele ano e, por isso, deveriam ter sido assinados ainda no exercício anterior, ou seja, até 31 de dezembro de 2016”, diz a nota divulgada pelo N.Com. “Assim, caberia à administração municipal ter encerrado todos os procedimentos até o último dia do ano de 2016, não podendo ter repassado para o ano seguinte, quando entrou em vigor a nova legislação”, prossegue. Ainda segundo o N.Com, a PGM afirma que a análise do edital do Promic foi feita com base na legislação vigente no ano passado – sem levar em consideração a lei federal 13.019/2014.

 

Leia abaixo a íntegra da nota da PGM

A respeito do parecer jurídico emitido ao edital do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic) 2017, a Procuradoria-Geral do Município (PGM) informa o seguinte:

No dia 1º de setembro de 2016 – período anterior à aprovação do edital do Promic 2017 –, a PGM emitiu a recomendação 1/2016 a todos os órgãos da Administração Municipal Direta e entes da Administração Municipal Indireta (autarquias e fundações), informando que a partir de 1º de janeiro de 2017 entraria em vigor para os Municípios a Lei 13.019/2014. Também foi orientado a todos que adotassem as providências necessárias para cumprir a legislação;

Desta forma, a partir de 1º de janeiro de 2017, nenhum setor da administração poderia assinar convênios que não estivessem de acordo com esta legislação;

Todos os editais elaborados em 2016 estavam sob a regulação das leis vigentes naquele ano e, por isso, deveriam ter sido assinados ainda no exercício anterior, ou seja, até 31 de dezembro de 2016;

Os editais que foram analisados pela PGM, entre eles o do Promic, estavam sob o vigor da Lei 8.666/93 e a Lei do Promic.

Em suma, a análise dos editais de convênios feitos em 2016 foi realizada conforme a legislação vigente no período. Assim, caberia à administração municipal ter encerrado todos os procedimentos até o último dia do ano de 2016, não podendo ter repassado para o ano seguinte, quando entrou em vigor a nova legislação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *