Entidades discutem falta de respostas, um ano depois da chacina

Balanço da força-tarefa que investigou a onda de violência que esvaziou as ruas de Londrina num sábado à noite será feito em Curitiba -  Foto: Marjorie Coelho

Balanço da força-tarefa que investigou a onda de violência que esvaziou as ruas de Londrina num sábado à noite será feito em Curitiba – Foto: Marjorie Coelho

Um ano depois da noite em que 12 pessoas foram assassinadas em Londrina – o primeiro deles foi um policial militar – e em que foi imposto um “toque de recolher” à cidade, em pleno sábado, os acontecimentos do fim de janeiro de 2016 ainda não foram esclarecidos. Não há uma narrativa, uma explicação que seja para o que aconteceu na madrugada de 29 para 30 de janeiro do ano passado. Em maio foram presos oito policiais, mas até hoje nenhum dos 17 inquéritos policiais abertos para investigar o caso foi concluído.

Na oportunidade, diversos boatos foram divulgados pelas redes sociais e pelo whatsapp. O governo garantiu “segurança” e negou a atuação de facções criminosas, mas mesmo assim o londrinense preferiu não pagar para ver e as ruas da cidade ficaram vazias.

O “aniversário” de um ano e a falta de respostas e solução para a chacina serão discutidos no final da tarde desta quinta-feira, na sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UEL, no Centro. Participam do encontro representantes do Centro de Direitos Humanos de Londrina (CDH), Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), Comitê Passe Livre e Comitê Londrinense Contra a Criminalização dos Movimentos Sociais, entre outros.  As entidades planejam promover um ato para lembrar um ano da chacina e a falta de respostas.

A chacina do ano passado foi lembrada em diversas oportunidades, durante o ano de 2016. Em uma delas, durante a passagem da Tocha Olímpica por Londrina. Manifestantes que empunhavam cartazes cobrando uma resposta para os crimes tiveram o material apreendido por policiais militares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *