Baixo Clero 2017

O Baixo Clero começou 2016 sob incertezas. O ano anterior tinha sido o melhor da história do blog, que está no ar desde setembro de 2008: foram 880 mil visualizações num ano de Operação Publicano, Massacre do Centro Cívico e em que o JL cresceu de forma consistente na internet. O JL não chegou a 2016 e esse era o maior desafio: manter a audiência e a relevância de um blog sem portal. E manteve: 2016 foi o segundo melhor ano da história do blog, com 348,9 mil visualizações (esses números dizem respeito apenas ao endereço baixoclero.com, está excluída aí a audiência obtida no portal da Paiquerê AM), perdendo apenas para o inigualável 2015, mas melhor que todos os anteriores.

O blog manteve a sua relevância também por se mostrar uma alternativa de informação para a cidade. Cobriu uma campanha eleitoral e deu em primeira mão (os chamados “furos” jornalísticos) algumas informações relevantes, como a de que o orçamento estipulado pela prefeitura para o Passe Livre não era suficiente e foi um dos poucos a tratar das dificuldades financeiras da prefeitura.

O que diferenciou o Baixo Clero também foi um espaço maior a movimentos sociais, um olhar diferente sobre as ocupações das escolas por secundaristas e de prédios da UEL por universitários. Enfim, o blog conseguiu ser um canal alternativo, oferecendo espaço para que outras vozes tivessem acesso ao espaço público.

O Baixo Clero começa 2017, o nono ano da sua existência, com a certeza de que há espaço para outras vozes no espaço público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *