Mudança no EIV da ADAMA será votado na próxima Legislatura

Texto/Foto: André Costa Branco – Jornalismo Periférico

Foto: André Costa Branco/Jornalismo Periférico

Foto: André Costa Branco/Jornalismo Periférico

Moradores do Jardim Eucaliptos, na Zona Leste de Londrina, estiveram na última quinta-feira, na sessão da Câmara de Vereadores para protestar contra o projeto que altera a Lei de Zoneamento da ADAMA, indústria de agrotóxicos localizada na região. Os moradores apresentaram um ofício que pede a realização de uma audiência pública no próprio Jardim Eucaliptos, a fim de debater a mudança no Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV), antes da votação do projeto na Câmara. O ofício reuniu 269 assinaturas, e foi entregue a cada um dos 19 vereadores de Londrina.

“Estamos contestando porque a população não foi chamada para discutir o tema”, declarou, em discurso no plenário, a moradora Neriulda Rodrigues da Silva. “Se a população se cala, além da ampliação da ADAMA, outras empresas vão poder se instalar na região. Nós vamos ficar ilhados?”, questionou Neriulda, que ainda citou relatos de outros moradores sobre os impactos da indústria na fauna e na flora do Jardim Eucaliptos.

ENTENDA O PROTESTO

A ADAMA é uma multinacional que produz e comercializa herbicidas, fungicidas, inseticidas, dentre outros produtos químicos utilizados na agricultura. A marca conglomera, entre outras, a antiga Milenia Agrociência, instalada desde 1998 nos arredores do fundo de vale do Ribeirão Lindóia.

Em agosto, a ADAMA convocou uma audiência pública para apresentar o pedido de alteração na Lei de Zoneamento – que trata sobre uso e ocupação do solo. A mudança seria de Zona Industrial ZI-3 (impacto leve a moderado) para ZI-4 (impacto moderado a alto).

A audiência foi convocada para o dia 12 de agosto, às 19h, no Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (Ceal), a mais de 10 quilômetros do Jardim Eucaliptos. A publicação do EIV da ADAMA pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL) só foi feita às 16h42 do mesmo dia, e a Assembleia Geral dos Moradores reclama que tomou conhecimento da proposta após a realização da audiência.

VOTAÇÃO

Ontem, a Câmara de Vereadores acolheu o projeto, apresentado pelo Executivo, para votação da mudança no EIV da ADAMA. A tramitação é em regime ordinário, o que significa que a proposta não vai ser votada antes do recesso de fim de ano. A partir de janeiro, o Poder Legislativo ganha uma nova cara, com a posse dos vereadores eleitos pelo último pleito municipal. Também ficou definida, pelo projeto, a convocação de uma outra audiência pública, conforme pediam os moradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *