Quinta-feira é o “Dia D” para professores da UEL

A quinta-feira dessa semana será decisiva para a retomada ou não das greves de professores e servidores da UEL e das universidades estaduais. Além da terceira reunião do Grupo de Trabalho (GT) que envolve servidores e o governo, nesse dia é esperado o resultado do julgamento pelo Tribunal de Contas do recurso dos reitores das Instituições de Ensino Superior (IES) tratando do regime de trabalho dos professores (no caso o TIDE, que trata dos casos de professores que têm dedicação exclusiva à universidade).

No final da tarde de quinta-feira será feita uma reunião do comando de greve dos professores para, dependendo dos acontecimentos, convocar uma assembleia da categoria.

A crise

No Grupo de Trabalho, servidores e o governo discutem alternativas para garantir a reposição das perdas salariais provocadas pela inflação de 2016. A crise entre governo e servidores tem como causa a tentativa do governador Beto Richa (PSDB) de recuar do acordo que pôs fim à greve do funcionalismo, no ano passado. O acordo previa a reposição da inflação de 2016 para janeiro de 2017. Logo depois do primeiro turno das eleições desse ano o governador enviou para a Assembleia Legislativa um projeto revogando a lei aprovada em 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *