Esquema de auditores provocou R$ 1,7 bilhão de prejuízo, diz força-tarefa

A força-tarefa da Secretaria da Fazenda que revisa as fiscalizações feitas por auditores fiscais denunciados na Operação Publicano já apurou R$ 1,7 bilhão entre impostos sonegados, juros e multas devidos por 350 empresas analisadas até aqui. A revisão está sendo feita desde o ano passado, quando o Gaeco começou a propor as primeiras ações da Publicano, na qual é investigada a denúncia de que auditores fiscais, empresários e contadores teriam montado uma “organização criminosa” para sonegar impostos mediante o pagamento de propina.

Na última parcial, feita em junho deste ano, a força-tarefa já tinha feito autuações no valor de R$ 1,1 bilhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *