Primeiro dia de greve tem alta adesão na UEL e na Polícia Civil e “disputa” de números nas escolas estaduais

No primeiro dia de greve em Londrina, professores, servidores e estudantes da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e policiais civis tiveram altos índices de adesão, segundo os sindicatos das categorias. Na UEL, o Sindiprol/Aduel, que representa os professores fala entre 90% e 95% de adesão no primeiro dia, entre os professores. Os servidores tiveram alta adesão no campus, mas um nível mais baixo de adesão no HU, onde, de acordo com a Assuel, o sindicato que representa a categoria, há apoio dos servidores, mas há também a necessidade de manter o atendimento aos pacientes internados. Segundo a Assuel, o hospital está lotado.

Na Polícia Civil, o Sinclapol, sindicato que representa os trabalhadores do setor no estado, fala em adesão de 90% da categoria na região norte, incluindo Londrina.

Nas escolas estaduais, o Núcleo de Londrina da APP-Sindicato estima entre 60% e 70% a adesão dos professores. No estado a APP-Sindicato calcula em torno de 50% de adesão.

A chefe do Núcleo Regional de Ensino de Londrina, Lúcia Cortez, afirmou que apenas as 36 escolas que foram ocupadas por estudantes secundaristas em Londrina, Cambé, Ibiporã e Rolândia não funcionaram nesta segunda-feira. As quatro cidades têm 124 escolas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *