Geógrafo removido da Sema poderá voltar ao cargo antigo

O geógrafo Bruno de Camargo Mendes, removido do cargo de gestor territorial da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema), no qual deu um parecer contrário a um projeto de lei do vereador Joaquim Donizete do Carmo (DEM), o “Gaúcho Tamarrado” que pretende avançar sobre os fundos de vale, poderá voltar ao antigo cargo nesta semana. Há um encaminhamento nesse sentido em andamento na administração municipal. A remoção, contra a vontade do servidor, fora do prazo previsto pela legislação eleitoral e como possível retaliação por conta de sua postura técnica, foi denunciada na semana passada pelo Baixo Clero. Depois da postagem sobre o assunto, Mendes foi procurado pelo prefeito Alexandre Kireeff (PSD), que demonstrou preocupação com o episódio, do qual disse não ter conhecimento.

A Secretaria Municipal de Planejamento, que requereu a cessão de um servidor para aprimorar o trabalho de georeferenciamento, entrou em contato com o Baixo Clero para informar que apenas requereu um servidor, mas não tinha conhecimento de que o geógrafo escolhido pela Sema não concordava com a remoção. A Secretaria de Planejamento também disse desconhecer as pressões sofridas por ele devido a posicionamentos técnicos. Esse histórico era desconhecido pelo comando da Secretaria de Planejamento, que informou discordar “severamente”, tanto das pressões, quanto da remoção do servidor sem concordância.

Com o prefeito e a Secretaria de Planejamento se manifestando contra perseguições, só falta o comando da Sema explicar o que aconteceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *