2 a 1 pra eles

Foto: Vinícius Bersi - foto publicada na página da CBN Londrina no Facebook (https://www.facebook.com/RadioCBNLondrina/?fref=ts)

Foto: Vinícius Bersi – publicada na página da rádio CBN Londrina no Facebook (https://www.facebook.com/RadioCBNLondrina/?fref=ts)

Na semana em que cartazes de protesto exibidos durante a passagem da Tocha Olímpica por Londrina foram apreendidos e dois estudantes foram detidos por protestar contra o governador Beto Richa (PSDB), numa cerimônia na PUC PR, pelo menos uma boa notícia: a ministra Rosa Weber suspendeu as ações movidas por dezenas de juízes e alguns promotores contra jornalistas da Gazeta do Povo, que fizeram uma reportagem sobre os ganhos de magistrados e promotores com base em informações divulgadas pelo Judiciário e o Ministério Público – são informações públicas.

A decisão da ministra suspende as ações até que o plenário do STF decida se elas devam ser julgadas pelo próprio Supremo ou se o julgamento cabe ao judiciário paranaense, do qual fazem parte os autores das ações. São 42 ações e os profissionais da Gazeta já tinham rodado em torno de 9 mil quilômetros para comparecer às audiências.

A decisão da ministra Rosa Weber é, sem dúvida alguma, um alento para a liberdade de expressão no Brasil, num momento em que políticos se esforçam para intimidar jornalistas. Mas não se pode tapar o sol com a peneira. Não é possível comemorar uma vitória da liberdade de imprensa, sem levar em conta outros atos que têm sido cometidos contra a liberdade de expressão – as duas liberdades são “irmãs”, mas não são a mesma “pessoa”.

A apreensão de cartazes de manifestantes de Londrina na passagem da Tocha Olímpica é inadmissível. Pior: agravada pela seletividade dos policiais. Enquanto cartazes que cobravam respostas para a chacina de janeiro eram apreendidos, uma faixa de um movimento separatista – que confronta o artigo 1º da Constituição Brasileira – foi mantida incólume, embora a propaganda do grupo felizmente não ganhe eco na maioria da população. Qualquer tipo de apreensão de material que expresse opinião sem ofender alguém é detestável.

A significativa vitória da liberdade de imprensa no STF – ainda que seja uma vitória parcial – deve ser comemorada. Mas por enquanto, as liberdades estão perdendo esse jogo. A decisão da ministra Rosa Weber foi um “gol” das liberdades, mas o placar da semana ficou em 2 a 1 para o autoritarismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *