Seis meses depois, STF decide sobre liminar afastando Cunha da presidência da Câmara

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, concedeu uma liminar afastando o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara, A decisão sobre a liminar – que normalmente trata de questões urgentes, com o objetivo de fazer parar atos danosos – saiu quase meio ano depois de a Procuradoria Geral da República (PGR) ter pedido o afastamento de Cunha. A PGR tinha urgência desde dezembro, quando foi pedida a liminar. A decisão só saiu em maio. Nesse período, Cunha conseguiu fazer uso da presidência da Câmara para barrar investigações contra si e o andamento do processo de cassação do seu próprio mandato. Exatamente os motivos que fizeram a PGR pedir o seu afastamento, há meio ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *