Condenado pelo TJ, ex-presidente da Câmara começa a cumprir pena

A notícia da terça-feira em Londrina foi a condenação em segundo grau e consequentemente a prisão do ex-presidente da Câmara, Sidney de Souza, que, eleito pelo PTB em 2012, não pôde assumir o mandato, exatamente devido a essa condenação, então em primeiro grau. Condenado a quatro anos e seis meses de prisão, Souza é acusado de ter recebido propina para favorecer a boate Shirogohan na aprovação de uma lei que liberava o zoneamento para que o estabelecimento abrisse um motel. Ele foi preso ontem e vai cumprir a pena em regime semiaberto (trabalha de dia, mas dorme na prisão) por conta da condenação pelo Tribunal de Justiça. Souza se enquadra no novo entendimento do judiciário brasileiro, de que condenados em segundo grau já são presos para começar a cumprir a pena, mesmo que ainda caiba recurso aos tribunais superiores – e no caso de Souza cabe.

O também ex-presidente da Câmara, Orlando Bonilha, também foi condenado pelo TJ. Como réu colaborador, ele não vai para o regime fechado.

O caso Shirogohan teve outros ex-vereadores denunciados, mas todos foram absolvidos.

História

A condenação de Souza e Bonilha em segundo grau é herança da crise de 2008, que começou com a prisão em flagrante do ex-vereador Henrique Barros e ao afastamento de outros quatro vereadores. Na oportunidade mais da metade dos vereadores foram denunciados sob a acusação de “vender” projetos de lei. A maioria deles foi absolvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *